CULTURA TECNOLÓGICA – Concept Fashion

CULTURA TECNOLÓGICA

Dicas para atingir a nova geração

Definida como a geração que nasceu no meio dos anos 90 até 2010, a Geração Z, também conhecida como iGens, Digital Natives ou Conflict Generation, possui um consumidor nada fácil de chamar a atenção.

Essa geração possui um chamado “filtro de 8 segundos”, ou seja, eles conseguem identificar de maneira muito rápida quando algo não é original, logo o que é legítimo é bem mais valorizado.

A Fitch Media estima que a Geração Z será o único maior grupo de consumidores no mundo todo nos próximos 5 / 7 anos. Então, a preocupação em entender o comportamento desse grupo por parte das marcas deve começar logo cedo.

Por ser a primeira geração que cresceu já inserida na tecnologia, esses consumidores usam muito mais imagens que a geração anterior e conseguem acompanhar cinco telas ao mesmo tempo. Portanto, os varejistas precisam investir cada vez mais em imagens para se comunicar.

As marcas também têm que saber que os iGens valorizam a transparência na hora de fazer suas escolhas. Eles gostam de saber de onde vem a matéria-prima daquele produto, que a marca está oferecendo e como ele é feito. Além disso, preferem campanhas publicitárias focadas em conteúdo, ou seja, alguma coisa que ensine algo de valor a eles, algo que seja ligado a uma causa, já que possuem um sentimento de querer mudar o mundo.

Ainda falando em conteúdo, não podemos esquecer que muitos deles preferem criar do que comprar, então consequentemente estão bem ligados ao Youtube onde encontram tutoriais de diversos assuntos. Segundo análises da Deep Focus, 85% da geração Z apresenta mais probabilidade de acessar o Youtube do que as outras redes sociais.

Já sabendo dessas informações de comportamento da Geração Z, algumas lojas já vêm incorporando um determinado “lifestyle” para atingir esse público jovem. Por exemplo, a flagship da Converse em São Francisco possui um “Laboratório Criativo” onde seus consumidores podem customizar seus produtos comprados ao mesmo tempo que exercitam sua individualidade.

No universo imagético ao qual a geração Z está inserida, a start-up ViSenze (Reino Unido) lançou um conjunto de ferramentas, que permite uma busca visual por meio do uso de inteligência artificial. Esta, por sua vez, foi trazida ao público pela loja online Zalora (Ásia). A ferramenta chamada Find Similar (“Encontre Semelhante”) recomenda artigos similares baseado nos cliques do comprador.

Além da Zalora, a Wayfair também incorporou uma ferramenta de busca visual onde o cliente pode baixar uma imagem ou tirar uma foto para encontrar produtos com características semelhantes.

Continuando nas imagens, mas agora em movimento, algumas marcas estão investindo na criação de vídeos para seus produtos. Segundo a Salsify, cerca de um terço dos compradores online estão mais inclinados a comprar o produto após verem um vídeo sobre ele.

Com o tempo, cada vez mais marcas irão incorporar tais recursos imagéticos e também novas empresas disponibilizando tais ferramentas irão surgir. A tendência é que cada vez mais nos adaptemos à nova geração tecnológica, que está emergindo e que nossas experiências de compra sejam mais fáceis e agradáveis.